Madri além de Bellucci

Vamos fingir que isso não é um troféu, ok?

O que falta dizer sobre o Novak Djokovic de 2011? Os números são constantemente repetidos: 32 vitórias e nenhuma derrota na temporada, 34 seguidas. Se você quiser ser fanfarrão, conte mais duas da Copa Hopman (torneio de exibição) e você tem um começo de ano histórico, que dificilmente será repetido em muitos anos.

Por mais que eu esteja feliz pelo Nole, fico morrendo de medo do ano que vem, no qual ele terá que defender tudo isso. Aliás, será que ele estará liderando o ranking? No ano passado, quando Djoko disse que seu sonho era ser número 1, lembro que eu dei risada lendo. Parecia tão distante. Hoje é uma realidade e pode ser alcançada em Roland Garros, mas a tendência é que ele continue perseguindo até o US Open. Se o Nadal for número 1 depois de Nova York, já era, fica lá para sempre.

O bom é que chegamos em Roland Garros com um mais de um candidato ao título. O Federer sempre foi o segundo favorito em Paris, mas, hoje em dia, está complicado para o suíço levar a melhor até na quadra dura. De qualquer forma, nunca é bom descartar Federer. Ele já ganhou o torneio, afinal. Mas Djokovic certamente surge mais forte e David Ferrer também é uma boa aposta. O número 2 da Espanha exigiu mais do sérvio do que o Nadal (o Bellucci também, hehe) e, se pegar uma chave boa, pode chegar sim à final. Um degrau abaixo, coloco Robin Soderling, Andy Murray e Juan Martin Del Potro. A realidade deles hoje é parar nas quartas, mas Rafa e Roger sabem muito bem como esses três adoram surpreender.

Pitaquinhos:

– quando Rafa saiu de 0/4 para igualar no primeiro set, eu tive certeza que iria atropelar depois. Not really…
– Federer foi muito corajoso no primeiro set contra o Rafa. Mas no segundo…
– a torcida de Madri é um pé no saco
– não achei as apresentações de Nole no saibro tão boas quanto as de Indian Wells/Miami

Olho na Olhuda

Petra Kvitova, a Olhuda, venceu o Premier de Madri. A campanha da canhota tcheca nesse ano é muito boa, com três títulos, dois deles de primeira linha. Seu estilo de jogo é agressivo, corajoso e seu comportamento é instável, como o de todas, mas bem menos outros nomes surgindo por aí (estou falando com você, Yanina).

Bela participação também da vice Victoria Azarenka, que se firmou definitivamente no top 10 (ou 5) e é sim grande candidata ao título em Roland Garros. Mas grande nome para Paris ainda é Caroline Wozniacki (para mim, ok?), principalmente com a Clijsters baleada e as outras bem ranqueadas em má fase.

Muito curiosa para o jogo de Bellucci contra…………. Lorenzi. Provavelmente sem câmeras, voltaremos aos velhos (tipo, semana passada) tempos de acompanhá-lo no Live Scores. Espero que sem emoções. Sua estreia é na terça. Roma, here we go!

Anúncios

6 Comentários

Arquivado em Masters 1000, Torneios WTA

6 Respostas para “Madri além de Bellucci

  1. Gláucia taricano

    Pq eu nao consigo ficar calada? Rs
    Nadal x nole

    Nadal nao perdeu a partida. Nole ganhou. Afundou tanto e tão bem a bola que Nadal jogou sempre mto longe da linha de base. A bola sobrava mas curta do que devia e lá ia o competente nole, definir o ponto.

    No saibro, ao nível do mar, de Roma, será a prova de fogo. E nao podemos esquecer, que Rafa se dedicara ao máximo para bate-lo.

    Tudo isso dito, nada apaga o brilho da vitoria brilhante de nole, da campanha fabulosa e do n1

  2. Se contar a Hopman, torneio que a Sérvia só não levou por causa de uma dor-de-barriga da Ivanovic (maldade), tem que contar a Exo na Colômbia, que o Nadal foi pra lá ver a Shak… digo, ganhar 2 milhõezinhos, e botou o Nole no bolso.

    Fico feliz que Madri adotou a ordem natural das coisas e dar um trofeu (mesmo que de gosto duvidoso) para o campeão e um prato pro vice. E não o contrário, como fazia antes.

    Nole e Rafa são favoritos, mas não é bom negócio descartar o Federer. Söderling talvez chegue na semi e vamos ver a cara melancólica do Murray no Rolanga, antes da consagração em Wimbledon (aí, eu acordei).

    Sobre as meninas, a Carol não fez uma boa semana, só não perdeu pra BoJo, porque a sérvia errou feito uma Cibulkova, que por sua vez quase aprontou pra cima da zoiudinha, apresentando uma notável melhora na defesa. Vika tá de encher os olhos (interpretação livre), e sua maior adversária é a condição física.

    Quanto a Petra, finalmente entrou no Top 10, depois de uma temporada instável em Indian Wells e Miami. A vitória na Fed Cup fez muito bem pra ela e para a Julia Goerges. E tem top-player que abre mão pra jogar torneio pequeno…

  3. Gláucia taricano

    Que se aproxima. Se conquista-lo, será por mérito indiscutível.

    Bati com o dedo no botão antes da hora e comentário foi rsr

  4. Bell

    – a torcida de Madri é um pé no saco (2)

    ô troféu hein

  5. Rodrigo

    Palpite: Acho que o jogo do Bellucci será em quadra com TV devido a 2 pontos. 1) Ele chamou a atenção esta semana e 2) Ele enfrenta um italiano.

  6. Se Carol vencer RG sem ter chegado à final de nenhum dos grandes torneios no saibro vermelho (Roma/Madrid), eu me rendo à sua genialidade (??). Juro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s