Arquivo da tag: Samantha Stosur

Pela primeira vez, Itália!

Felizmente, o futebol não é o único esporte que traz muitas surpresas. Certamente, eu mandaria um “senta lá” para quem apostasse que Francesca Schiavone seria a campeã de Roland Garros 2010. E nem precisava ser no começo. Bote reparo que eu sequer citei a tenista de (quase) 30 anos em meu último post.

Ela é a primeira italiana a conquistar um Grand Slam. Assim como nós, eles mandam bem no fut e no vôlei, mas quando chega no tênis… Porém, isso só aconteceu porque muitas favoritas ficaram pelo caminho. E não, eu não incluo a Dinara “KIMIKO” Safina nessa lista.

As quedas das favoritas

Henin: perdeu nas oitavas para a vice-campeã Samantha Stosur, da Austrália.

Venus: também nas oitavas, foi derrotada por Nadia Petrova. Nesse caso, foi um alívio. Por mais que admiremos o tênis da irmãzona, a gente dispensava MUITO aquela camisola.

Wozniacki: para tristeza geral da parte masculina do mundo, a “docinho de coco” (não me pergunte quem deu esse apelido), deu adeus a RG nas quartas contra a campeã do torneio.

Serena: a número um do mundo gritou, chicoteou, surtou, jogou demais como sempre… mas perdeu. Foi mais uma presa de Stosur, dessa vez nas quartas.

Dementieva: a derrota mais XIS do torneio. Na semi contra Schiavone, a russa perdeu um primeiro set disputado e simplesmente deu tchau e saiu da quadra. Depois, disse ter uma lesão na panturrilha e duvidar se conseguirá estar em Wimbledon. Migué? A princípio eu achei que era, mas sou desconfiada demais…

Moral da história? As duas finalistas, por mais que não tenham nomes suficientes para nos empolgar, derrubaram gigantes e merecem muito respeito. Stosur é mais jogadora e ainda não entendi como Schiavone venceu. Entenderei agora, que começará a reprise na ESPN.

(algum tempo depois…)

Acabei de ver a reprise. Belo jogo mesmo, como vi alguns comentarem! Duas mulheres maduras, concentradas e cientes do que é uma final de Grand Slam. Não fazem da quadra um palco para lamentações e auto-flagelo. Good for them! Ambas estão no meio da carreira, por isso a minha desconfiança em acreditar que podem firmar o nome entre as grandes de sua geração. Mas, como vocês sabem, meus prognósticos furam cada dia mais.

Onde o jogo se decide? Nos fundamentos, obviamente. Em acertos de primeiro saque, as duas empataram (65%). A italiana fez 26 winners (bolas que o adversário não chega), apenas um a mais que Stosur. A diferença apareceu nos erros não-forçados: 28 da australiana e 19 da campeã. O número mais expressivo é o de porcentagem de pontos ganhos na rede. Schiavone atingiu 93% e Stosur 61%. Os voleios de Francesca foram mais firmes. Isso me surpreende de certa forma, tendo em vista a experiência de Samantha em duplas (em que o voleio é fundamental). E faltou firmeza de Stosur também na hora de manter a vantagem que obteve no segundo set (4×1).

WINNER de Roland Garros: Samantha Stosur, que encara o tênis de forma profissional. Isso é artigo raro na WTA. Como me lembrou o caro Luigi, a australiana vice-campeã sempre se destacou nas duplas. Tomara que seu caminho de vitórias sozinha não termine em Paris.

DUPLA FALTA de Roland Garros: as sérvias Ivanovic e Jankovic. Além de seus respectivos vexames em quadra (a semi de JJ foi lamentável), ficaram trocando farpas nas coletivas como duas meninas do colégio brigando para ver quem é a mais popular. #FAIL

Passe aqui mais tarde para ver meu balanço da chave masculina e do confronto Soderling x Nadal. Até lá!

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Grand Slam